ComCiência – Patricia Piccini no CCBB

Com abertura no dia 12 de Outubro, a exposição ComCiência da artista australiana Patricia Piccini teve sua inauguração com “Skywhale”, um balão híbrido de baleia e tartaruga que sobrevoou o centro da cidade de São Paulo.

“Para trazer a questão das mutações genéticas para o território da arte, a artista australiana Patricia Piccinini se utiliza do realismo como linguagem, apresentando ao espectador um universo de criaturas desconhecidas, porém palpáveis e surpreendentemente afetuosas. ComCiência, um neologismo que carrega sentido duplo, conectando consciente e ciência, propõe ao público um percurso narrativo entre esculturas, desenhos, fotografias e vídeos.” Curadoria: Marcello Dantas.

SAO PAULO / 05/10/2015 / CADERNO 2 imagens das obras da artista Patricia Piccinini, que vai abrir no dia 12/10 exposição no CCBB de São Paulo. FOTO DIVULGACA

Com produções em seu estúdio em Melbourne, sua criaturas possuem uma caráter repulsivo mas ao mesmo tempo sedutor, o que traz a reflexão sobre o próprio entendimento do homem, os padrões de beleza impostos pela mídia de massa, o racismo e a xenofobia. Patricia Piccinini costuma dizer que seu mundo é mais repleto de perguntas do que de respostas.

FR43 SÃO PAULO - SP - 09/10/2015 - CADERNO 2 - PATRICIA PICCININI - Fotos da exposição da artista australiana Patricia Piccinini.   FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

FR43 09/10/2015 – CADERNO 2 – PATRICIA PICCININI –  FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

Serviço

Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo.
Local: Térreo, subsolo, 1º, 2º, 3º e 4º andares.
(11) 3113-3651/3652
12 de Outubro a 4 de Janeiro
Das 9h às 21h
Entrada franca
Visitação com hora agendada
Agende sua visita aqui: ingresso rápido

Fontes:site CCBB
Mistura Urbana

Kandinsky: Tudo Começa num Ponto

 

No dia 7 de Agosto a exposição Kandinsky: Tudo Começa num Ponto teve início no Centro Cultural Banco do Brasil.
A exposição traz a trajetória de Wassily Kandinsky, grande percursor do abstracionismo. É composta por 153 obras e objetos do artista, seus contemporâneos e grandes influências. Além da co09/11/2014. Crédito: Gilberto Alves/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Pintura Improvisação nº 4, de Wassily Kandinsky, exibida na exposição Kandinsky: Tudo começa num ponto.leção do Museu Estatal Russo de São Petersburgo, o acervo conta com obras de museus da Rússia e coleções procedentes da Alemanha, Áustria, Inglaterra e França.
Kandinsky aborda diversos temas, entre eles em sua participação em Der Blaue Reiter – “O Cavaleiro Azul”, evidenciando as influências de tradições russas e o grupo de artistas que participaram da obra em 1911 Munique, Alemanha. Segundo o diretor-geral da exposição, Rodolfo Athayde, “A experiência com o xamanismo inspirou muito sua obra, não só espiritualmente, mas também esteticamente”, “É o turbilhão de sensações e de cores que Kandinsky sentia nesses lugares que ele quis pintar”.

kanKandinsky: Tudo Começa Num Ponto é uma exposição com caráter revelador para muitos do Ocidente, pois, além de jóias, cestos e trenós da arte popular do norte da Sibéria e de rituais xamãnicos, como tambores e vestimentas, é possível aprofundar no universo criativo e as referências iniciais do artista, colocando suas obras lado a lado a de seus contemporâneos.

Serviço – Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto
Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo.
(11) 3113-3651/3652
8 de julho a 28 de setembro
Das 9h às 21h
Entrada gratuita

Informações de:
http://guia.folha.uol.com.br/exposicoes/2015/07/1650491-precursor-do-abstracionismo-wassily-kandinsky-e-tema-de-exposicao-em-sp.shtml
http://brasileiros.com.br/2015/07/ccbb-apresenta-exposicao-kandinsky-tudo-comeca-num-ponto/

 

Impressionismo: Paris e a Modernidade

 

O tocador de Pífaro. 1866. Óleo sobre tela. Édouard Manet.

Impressionismo: Paris e a Modernidade – Obras-Primas do Museu d’Orsay

4 Ago a 7 Out
Local: Subsolo, térreo, 1º, 2º, 3º e 4º andares | CCBB SP
Horário: Terça a domingo, das 10h às 22h

A exposição traz pela primeira vez ao País uma seleção de 85 obras-primas do acervo do Museu d’Orsay, de Paris, e ocupa todos os espaços do CCBB. A mostra, que reflete a história da pintura ocidental no período que compreende a segunda metade do século XIX e início do século XX, é dividida em módulos temáticos que apresentam as obras de Camille Pissaro, Claude Monet, Edgar Degas, Edouard Manet, Henri Toulosse-Lautrec, Paul Cézanne, Paul Gauguin, Pierre-Auguste Renoir e Vincent Van Gogh, entre outros mestres.

A curadoria é de Guy Cogeval, presidente do Museu d’Orsay; Caroline Mathieu, conservadora chefe do Museu d’Orsay e de Pablo Jimenez Burillo, diretor-geral da Fundación Mapfre.

Mais informações pelo site: http://www.bb.com.br/portalbb/home21,128,128,0,1,1,1.bb