Exposição dos alunos no Memorial da América Latina: “Colores, Sabores y Ritmos”.

Entre os dias 24 de outubro e 4 de novembro, permaneceu no Memorial da América Latina a exposição de fotos Colores, Sabores y Ritmos: la poesia de los sentidos captada por jóvenes fotógrafos. A exposição apresentou 40 fotos de alunos do 8º ano do Colégio, selecionadas entre todas as turmas.

A parceria entre os departamentos de Artes e Espanhol e o Memorial começou em 2008 e o projeto já está em sua 8ª edição.

Pais e alunos prestigiam a exposição no Memorial da América Latina.

Pais e alunos prestigiam a exposição no Memorial da América Latina.

As turmas de 8º ano começaram a trabalhar no projeto no segundo bimestre do ano, lendo textos de autores de língua hispânica como Frederico Garcia Lorca, Gabriel Garcia Marquez, Gabriela Mistral, José Martí, Laura Esquivel, Pablo Neruda, Ruben Dario e Sór Juana Inés de la Cruz. Após trabalhar a compreensão dos textos nas aulas de Espanhol, os alunos produziram fotografias neles inspiradas, usando exercícios de criatividade nas aulas de Artes. O resultado abrange diversos tipos de fotografias, de imagens emotivas, familiares e pessoais; até imagens abstratas de uma leveza incomum para a idade dos fotógrafos.

As fotos dos alunos foram selecionadas pelos professores das duas disciplinas entre os meses de agosto e setembro, e a exposição foi montada para ser aberta no dia 24 de outubro. O ponto alto do projeto é a noite de abertura da exposição. Com as fotos já expostas na Biblioteca Victor Civita, no Memorial da América Latina, a exposição conta com um coquetel de abertura e entrega de certificados para os alunos selecionados. Nesse ano, o coquetel ficou a cargo da Lex’Rock Bakery, e a abertura teve a participação dos músicos do grupo Soprando Cordas.

Professores encabeçam a entrega dos certificados aos alunos no Memorial da América Latina.

Alunos recebem o certificado referente à participação na exposição.

 

20161024_191459

Coquetel de abertura produzido pela Lex’Rock Bakery.

Minibrownies para adoçar…

 

Um dos quitutes temáticos do coquetel: chips de banana da terra com agliatta.

Além do aprendizado nas duas matérias, o objetivo do evento é oferecer aos alunos uma experiência mais próxima à de uma exposição profissional, proporcionando um contato diferente com uma importante instituição cultural e valorizando o trabalho dos alunos ao levá-lo para além do espaço do Colégio.

A equipe da Biblioteca Victor Civita e do Memorial, por meio do trabalho de Fernando Gamba, tem acolhido o projeto com gosto desde seu início, sendo o Bandeirantes o único colégio que desenvolve esse projeto no Memorial. Pais e alunos reconhecem esta como uma experiência única, um privilégio do Band.

_dsc0071 _dsc0072

Kandinsky: Tudo Começa num Ponto

 

No dia 7 de Agosto a exposição Kandinsky: Tudo Começa num Ponto teve início no Centro Cultural Banco do Brasil.
A exposição traz a trajetória de Wassily Kandinsky, grande percursor do abstracionismo. É composta por 153 obras e objetos do artista, seus contemporâneos e grandes influências. Além da co09/11/2014. Crédito: Gilberto Alves/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Pintura Improvisação nº 4, de Wassily Kandinsky, exibida na exposição Kandinsky: Tudo começa num ponto.leção do Museu Estatal Russo de São Petersburgo, o acervo conta com obras de museus da Rússia e coleções procedentes da Alemanha, Áustria, Inglaterra e França.
Kandinsky aborda diversos temas, entre eles em sua participação em Der Blaue Reiter – “O Cavaleiro Azul”, evidenciando as influências de tradições russas e o grupo de artistas que participaram da obra em 1911 Munique, Alemanha. Segundo o diretor-geral da exposição, Rodolfo Athayde, “A experiência com o xamanismo inspirou muito sua obra, não só espiritualmente, mas também esteticamente”, “É o turbilhão de sensações e de cores que Kandinsky sentia nesses lugares que ele quis pintar”.

kanKandinsky: Tudo Começa Num Ponto é uma exposição com caráter revelador para muitos do Ocidente, pois, além de jóias, cestos e trenós da arte popular do norte da Sibéria e de rituais xamãnicos, como tambores e vestimentas, é possível aprofundar no universo criativo e as referências iniciais do artista, colocando suas obras lado a lado a de seus contemporâneos.

Serviço – Kandinsky: Tudo Começa Num Ponto
Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo.
(11) 3113-3651/3652
8 de julho a 28 de setembro
Das 9h às 21h
Entrada gratuita

Informações de:
http://guia.folha.uol.com.br/exposicoes/2015/07/1650491-precursor-do-abstracionismo-wassily-kandinsky-e-tema-de-exposicao-em-sp.shtml
http://brasileiros.com.br/2015/07/ccbb-apresenta-exposicao-kandinsky-tudo-comeca-num-ponto/

 

Exposição Africa Africans

Exposição no Museu Afro Brasil sobre arte africana contemporânea
afrNo dia 25 de maio o Museu Afro inaugurou a exposição Africa Africans, a maior mostra de arte contemporânea africana já realizada no Brasil. Lá você vai encontrar instalações, pinturas, esculturas, vídeos e moda. No dia 26 de maio ocorreu um encontro internacional com sobre o tema da exposição com artistas convidados para debater com o público.
A exposição tem foco na criação de artistas africanos, nascidos e residentes no continente ou fora dele, assim como artistas de origem africana que, mesmo tendo nascido fora da África, dialogam com a pluralidade de experiências estéticas e sociais presente nas diversas regiões do continente.
No Brasil, os fios que nos unem ao continente e que durante muito tempo ficaram esquecidos e escondidos pelo racismo cordial característico da sociedade brasileira nos impelem a buscar uma África que é, muitas vezes, criada pelo imaginário. A imagem da África veiculada pela mídia brasileira é frequentemente miserabilista ou então sonhada e idealizada, aquela das práticas culturais originárias de uma África que já não corresponde à atual.

afrSERVIÇO: AFRICA AFRICANS

Exposição de Arte Africana Contemporânea
ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
25 DE MAIO – 19H
ENCERRAMENTO
30 DE AGOSTO
A entrada é gratuita e aberta para todas as idades.
Av. Pedro Álvares Cabral, s/n
Parque Ibirapuera – Portão 10
São Paulo / SP – 04094 050
Fone: 55 11 3320-8900
www.museuafrobrasil.org.br

Saiba mais em http://www.museuafrobrasil.org.br/programacao-cultural/exposicoes/temporarias/detalhe?title=%22Africa+Africans%22+

Evento no museu AfroBrasil

O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, convida para o lançamento do livro “África em Artes”. O evento contará com uma palestra dos autores, os pesquisadores Renato Araújo da Silva e Juliana da Silva Bevilacqua, sobre o tema da publicação.

Distribuição gratuita do livro aos participantes da palestra. Inscrição 20 minutos antes do evento.

África em Artes

HORÁRIO e LOCAL

Sábado, 11 de abril, às 11h.
Teatro Ruth de Souza

Museu Afro Brasil – Parque Ibirapuera – Portão 10
Link: www.museuafrobrasil.org.br

Cristiano Mascaro e a série Bom Retiro e Luz

Com curadoria de Pedro Nery, a Pinacoteca apresenta a exposição Cristiano Mascaro e a série Bom Retiro e Luz. A mostra reúne 47 fotos em preto e branco realizadas nos anos 70 no bairro do Bom Retiro, onde a Pinacoteca está localizada.
A série fotográfica pode ser entendida como memória institucional do bairro, ao mesmo tempo que apresenta a visão fotográfica de Cristiano Mascaro no início de sua carreira artística. As imagens são marcadas por alto contraste, instantâneos e composição geométrica que remetem à pesquisa sobre linguagem e a tradição do fotojornalismo.

cristiano-mascaro-estacao-da-luz-1998

 

Ao observar as fotos é possível perceber a capacidade de Mascaro de explorar com um olhar contemplativo um dos bairros mais antigos e plurais da cidade de São Paulo, junto da vida corriqueira e a paisagem humana diversa presente até hoje no bairro.

Captura-de-Tela-2015-01-29-às-22.22.15

Cristiano Mascaro nasceu em Catanduva em 1944. É formado em arquitetura pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP), iniciando sua carreira fotográfica em 1968 quando foi convidado para fazer parte da primeira equipe da revista Veja. Na sua carreira passou pela Enfoco Escola de Fotografia, Laboratório de Recursos Áudio-Visuais da FAU/USP e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de Santos.

 

 

HORÁRIOS E LOCAL

29/09/2014 a 19/04/2015 – R$ 6,00, sendo R$ 3,00 reais a meia-entrada para estudantes com carteirinha. Menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento.

QUINTAS, SÁBADOS E DOMINGOS – ENTRADA GRATÚITA.

TERÇA A DOMINGO –  das 10h às 17h30, com permanência até as 18h.

QUINTAS – O museu fica aberto até às 21h30, com permanência até as 22h.

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Praça da Luz, 2  – 11 3324-1000 | Lg. General Osório, 66 – 11 3335-4990

Link: http://www.pinacoteca.org.br/pinacoteca-pt/default.aspx?c=exposicoes&idexp=1247&mn=537&friendly=Exposicao-Cristiano-Mascaro-e-a-serie-Bom-Retiro-e-Luz

Saguão do Castelo Rá-Tim-Bum reabre ao público no MIS

exposicao-castelo-ra-tim-bum-07152014-77-original

Entre os dias 12 de fevereiro e 5 de abril, o MIS (Museu da Imagem e do Som) reabre ao público o Saguão do Castelo Rá-Tim-Bum, ambiente que recriou o quarto do Nino e a árvore da Cobra Celeste.

A exposição, que aconteceu no museu em comemoração aos 20 anos do programa, marco infanto-juvenil da TV brasileira, aconteceu entre julho de 2014 e janeiro de 2015 e recebeu por volta de 410 mil pessoas, recorde absoluto de visitação no espaço.

HORÁRIOS e LOCAL

12/02/15 a 05/04/15 – R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) – Terças-feiras: entrada gratuita
TERÇAS a SEXTAS das 12h às 21h
SÁBADOS das 10h às 21h
DOMINGOS e FERIADOS das 11h às 20h
MIS – Av. Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo – (11) 55 2117-4777
Link: http://www.mis-sp.org.br/icox/icox.php?mdl=mis&op=programacao_interna&id_event=1808

Obras de Julian Schnabel no MASP

32_06_arts_schnabelpjs_z

Julian Shnabel fotografado por Annie Leibovitz.

O MASP traz ao Brasil pela primeira vez um dos mais incensados nomes da arte contemporânea: Julian Schnabel, artista plástico e diretor de cinema consagrado por filmes como Antes do Anoitecer e O Escafandro e a Borboleta. No terreno das artes plásticas, sua recente mostra na Galeria Gagosian, de Nova York, rendeu elogios da crítica especializada, que o definiu como “um dos grandes nomes da arte contemporânea norte-americana e mundial”. JULIAN SCHNABEL- LA NIL – Pinturas 1988-2014 fica em cartaz de 4 de setembro até 7 de dezembro no MASP.

129

LA NIL apresenta o trabalho de Julian Schnabel (1941) entre os anos de 1988 e 2014, com obras de grandes dimensões pintadas sobre tela, velas de embarcações encontradas ao acaso e lona encerada usada para proteção de carga e objetos, além de obras recentes feitas sobre bandeiras de navegação e fotografias digitalizadas e impressas. Muitas destas obras foram pintadas ao ar livre em Palm Beach, na Flórida.

A exposição inclui ainda encerados de uso militar, pintados ao ar livre em seu estúdio em Montauk, LongIsland, feitos em homenagem ao grande artista e seu amigo pessoal Cy Twombly, morto em 2011 e cuja influência sobre seu trabalho Schnabel reconhece.

julian-schnabel-plates
Dois retratos de sua autoria serão exibidos como intervenções na galeria do 2º andar, onde são habitualmente expostas as principais obras da coleção MASP, como as assinadas por Goya, Velázquez e Tiziano. Realizada em espaços distintos, a mostra incluirá também alguns de seus filmes.

 

 

 

 

 

Schnabel e o cinema

Teixeira Coelho, julho 2014

O talento de Schnabel espraia-se por outro território, o do cinema, meio no qual, com o também artista plástico Steve McQueen, Schnabel forma na atualidade um raro par. Depois de realizar um documentário sobre o artista Jean-Michel Basquiat, em 1996, Schnabel fez Antes do Anoitecer, em 2000, inspirado no romance homônimo do aclamado escritor cubano Reinaldo Arenas e que deu a Javier Bardem seu primeiro grande papel, pelo qual foi indicado ao Oscar de melhor ator.

Depois O Escafandro e a Borboleta, de 2007, lhe trouxe vários prêmios (melhor diretor em Cannes, 2007; Golden Globe para melhor diretor e uma indicação para o Oscar também de melhor diretor). Recentemente fez Lou Reed – Berlin.

O artista dos pratos quebrados

Julian Schnabel (1951) é um dos grandes nomes da arte contemporânea. Morando e trabalhando em Nova York, Schnabel deu a sua obra uma dimensão global. No início de 2014 fez uma importante exposição na Galeria Gagosian, Nova York, e a ocasião serviu para que a crítica especializada o reconhecesse definitivamente como um dos grandes nomes da arte contemporânea.

Julian Schnabel tornou-se internacionalmente conhecido como o “artista dos pratos quebrados” sobre os quais pintava retratos de pessoas que se espalhavam sobre os fragmentos de louça colados na tela, numa obra de densa materialidade e que rompia com a pureza ainda relativamente preservada de parte da arte americana originada na proposta pop derivada da indústria cultural. Sua linha foi, e continua sendo, a de uma arte esteticamente mais agressiva, “rude” e fora dos trilhos habituais, na esteira de Cy Twombly, cuja influência Schnabel admite.

Em 2011 realizou em Veneza, no prestigioso Museo Correr, em paralelo à edição da Bienal de Veneza daquele ano, uma notável retrospectivade sua obra com exemplares tanto de sua peculiar interpretação do abstracionismo quanto de sua poderosa e sugestiva vertente figurativa.

Informações Gerais
  • MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand

    Av. Paulista, 1578. Acesso a deficientes. Horários: De 3ªs a domingos e feriados, das 10h às 18h. Às 5ªs: das 10h às 20h. A bilheteria fecha meia hora antes. Ingresso: R$ 15,00. Estudantes, professores e aposentados com comprovante: R$ 7,00. Acesso gratuito a todos às terças-feiras e para visitantes com até 10 anos e acima de 60 anos.Estacionamento: Car Park – Alameda Casa Branca, 41. R$ 14,00 para até duas horas (sábados e domingos: R$13,00 pelo período integral). Pegar adesivo na recepção do MASP os descontos.

    Mais informações: www.masp.art.br | twitter.com/maspmuseu | facebook.com/maspmuseu

    Fone: 011 3251 5644

Estrutura em Movimento – Gravuras de Iberê Camargo

Iberê

A Pinacoteca do Estado de São Paulo apresenta de 30 de agosto a 31 de Janeiro 2015, no terceiro andar da Estação Pinacoteca, a mostra Estrutura em movimento – A gravura na obra de Iberê Camargo. Considerado um dos grandes nomes da arte brasileira do século 20, Iberê Camargo (1914-1994) é autor de uma obra extensa. Com curadoria de Carlos Martins e José Augusto Ribeiro, curadores da Pinacoteca, a exposição homenageia o centenário de nascimento do artista e apresenta cerca de 100 trabalhos, entre pinturas, desenhos, guaches e gravuras, realizados desde o período de formação do artista, nos anos de 1930 e 1940, até as suas últimas manifestações, no começo da década de 1990.

ibere-camargo-4

 

 

 

 

 

 

 

SOBRE O ARTISTA

Iberê Camargo nasceu em Restinga Seca, interior do Rio Grande do Sul, Brasil, em 1914. Em 1927, iniciou seu aprendizado em pintura na Escola de Artes e Ofícios de Santa Maria. Em 1936, mudou- se para Porto Alegre, onde conheceu Maria Coussirat Camargo. E foi com tela e tintas dela, então estudante do Instituto de Belas Artes, que Iberê pintou seu primeiro quadro, às margens do Riacho, na Cidade Baixa – assim começou o namoro do casal e assim “começou o pintor”. Em 1939, Iberê e Maria se casaram. Em 1942, ano de sua primeira exposição, o artista e sua esposa mudaram-se para o Rio de Janeiro, onde viveram por 40 anos.

Admirador e amigo de artistas brasileiros como Goeldi e Guignard, em 1948 viajou para a Europa (através de um Prêmio de Viagem ao Estrangeiro, conquistado com sua obra Lapa, de 1947) em busca de aprimoramento técnico. Durante sua estada, visitou museus, realizou cópias dos grandes mestres da pintura e estudou gravura e pintura com Giorgio De Chirico, Carlo Alberto Petrucci, Leoni Augusto Rosa, Antonio Achille e André Lhote.

De volta ao Brasil, em 1950, Iberê conquistou inúmeros prêmios e participou de diversas exposições internacionais, tais como Bienal de São Paulo, Bienal de Arte Hispano-Americana em Madri, Bienal de Veneza, Bienal de Gravuras em Tóquio, entre outras exposições importantes. Foi no final dos anos 1950 que, devido a uma hérnia de disco que o obrigou a pintar no interior de seu ateliê, o artista desenvolveu um dos temas mais recorrentes em sua pintura: os Carretéis. São estes brinquedos de sua infância que o levaram, mais tarde, à abstração, e que estiveram presentes em sua obra até a fase final.
Na década de 1980, retomou a figuração. Mas, ao longo de toda sua produção, nunca se filiou a correntes ou movimentos. Em 1982, retornou a Porto Alegre, onde produziu duas de suas séries mais conhecidas: as Idiotas e os Ciclistas. Iberê Camargo faleceu em agosto de 1994, aos 79 anos, deixando um grande acervo de mais de 7 mil obras, entre desenhos, gravuras e pinturas. Grande parte desta produção foi deixada a Maria, sua esposa e companheira inseparável, cuja coleção compõe hoje o acervo da Fundação Iberê Camargo.

088a_4

“Mulher sentada”. Água-tinta. 1956.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

088b_4

“Suite Manequins 2”. Gravura. 1986.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 2 – São Paulo, SP
 Estação Luz do Metrô – Tel. 55 11 3324-1000
Terça a Domingo das 10h às 18h.  Quintas das 10h às 22h. Bilheteria até as 17h30.

Estação Pinacoteca – Largo General Osório, 66 – São Paulo, SP – Tel. 55 11 3335-4990
Memorial da Resistência de São Paulo – Largo General Osório, 66 – São Paulo, SP
Terça a Domingo das 10h às 18h. Bilheteria até as 17h30.
Tel. 55 11 3335-4990 – Fale com a ouvidoria ouvidoria@cultura.sp.gov.br | Clique aqui e acesse o portal da transparência

Inscreva-se nos Cursos do MAM em Parceria com o Bandeirantes

Link

Três anos de parceria

O MAM Educativo e o Colégio Bandeirantes iniciam o terceiro ano de parceria com a inclusão de mais um curso no Programa Igual Diferente. Todos os cursos do Programa Igual Diferente são gratuitos, contemplam diversas modalidades artísticas e faixas etárias, um convite ao público que deseja fazer e pensar a arte em um ambiente criativo e acessível a todos, independente de suas condições física, social ou psíquica.

O curso Atividades Criativas está em sua terceira edição, tem uma programação especialmente pensada para crianças do Ensino Fundamental, enquanto o curso de Xilogravura é direcionado para alunos do Ensino Médio.

Confira as propostas destes e de outros cursos do Programa Igual Diferente e inscreva-se!

Inscrições: +55 11 5085-1314 ou igualdiferente@mam.org.br

image-1-980x246

Xilogravura

:: Professores: Gisele Ottoboni e Lucas Oliveira | Início: 11 MARÇO 2014
TERÇAS-FEIRAS, 13H00 – 16H30

DURAÇÃO: 4 meses

VAGAS: 20

Elaborado para jovens entre 15 e 18 anos, o curso ensina as técnicas de gravação e impressão da xilogravura (gravura em madeira), a partir da vivência coletiva e da orientação dos trabalhos de ateliê. Com uma perspectiva histórica, as aulas ampliam gradativamente o repertório visual dos participantes. Além do ateliê, o curso inclui uma visita mensal às exposições em cartaz. O curso é uma parceria entre MAM Educativo e Colégio Bandeirantes.

Atividades Criativas

:: Professores: Gisele Ottoboni e Gregório Sanches | Início: 11 março 2014

Início: 11 março 2014
Duração: 4 meses
Horário: Terça-feira – 09h – 12h

O curso Atividades Criativas explora práticas de pintura, desenho, colagem e construção tridimensional, além de propor reflexões sobre a produção artística contemporânea presente nas exposições do MAM. É orientado para jovens entre 11 e 15 anos.

Mais informações e cursos, veja no link:  http://www.mam.org.br/aprenda/igual-diferente/