Trabalhos de alunos são expostos na Belas Artes

É desde 2008 que alunos do 8.o ano do Ensino Fundamental unem conhecimentos de Espanhol e Artes para montar uma exposição de nível profissional. Este ano, a mostra, intitulada “Topofilia”, tomou conta do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo e foi vista por alunos e professores de ambas as instituições, além da Diretora-Geral da Belas Artes, Patrícia Cardim.

exposicao_artes1

Todo o processo foi acompanhado de perto pela equipe de Artes, as professoras de Língua Espanhola, Paula Araújo e Valéria Morais, o professor de Geografia, Pedro Coelho, e contou com o apoio da equipe de manutenção do Colégio.

exposicao_artes4

Dialogando com o tema da topofilia, ou seja, o amor a um lugar, os alunos entraram em contato com textos, músicas e filmes em Espanhol e, a partir de sua própria interpretação, produziram uma foto relacionada a uma das obras. Além disso, em grupos, eles também elaboraram um produto sonoro e uma animação.

exposicao_artes2

“Foi uma oportunidade para eles conhecerem novos autores e culturas. Trabalhos como esse fazem com que a língua estrangeira passe pelo afeto. Assim, eles acabam esquecendo que se trata de outra linguagem e aprendem por paixão”, disse a professora Paula Araújo.

exposicao_artes3

O professor de Artes, Pedro Leão, conta que o trabalho permitiu que os alunos saíssem do raciocínio lógico e fossem para o criativo, valorizando sua própria criatividade. Além disso, a professora de Artes, Paula Ariane, destaca a importância da exposição num centro de ensino dedicado às artes. “O ambiente muda a forma como eles veem o próprio trabalho, faz com que ele cresça”, comentou ela.

artes001

 

“O trabalho ajudou a compreender melhor os textos. Meu grupo conversou muito para ter as ideias. No final, foi muito legal ver o que eu fiz exposto num lugar tão respeitado quanto a Belas Artes”, concluiu o aluno Lucas Lima, do 8.o ano do Ensino Fundamental.

Quebrando padrões: videoinstalações produzidas por alunos

Pensando no cinema de ruptura, o professor de Artes, Pedro Leão, propôs aos seus alunos do 9.o ano do Ensino Fundamental um desafio: a produção de videoinstalações, ou seja, um vídeo onde os padrões do formato cinematográfico aos quais estamos acostumados fossem colocados à prova.

pedro_1

Depois de um ano letivo conversando sobre cinema e suas técnicas nas aulas de Artes, a ideia era que os alunos pensassem menos no roteiro e mais no meio e na forma de exibição. Para isso, no último bimestre os alunos conheceram mais sobre as rupturas do cinema e trabalhos que questionaram os limites do vídeo, promovendo novas ideias.

pedro_2

Os resultados foram além das referências discutidas em sala e surpreenderam o professor. “Houve ideias muito legais. O objetivo era que eles pensassem fora da caixinha e saíssem do formato tradicional, desenvolvendo um raciocínio de uma ordem nova e diferente”, explicou Pedro.

Um dos vídeos produzidos, por exemplo, explorou os limites entre a imagem do celular, a do mundo real e a do vídeo. “Eu acho que as vídeosinstalações mostram técnicas diferentes do cinema, técnicas que envolvem a edição e a gravação no momento do planejamento, técnicas novas”, comentou Isabela Chen, que, junto a seu grupo, produziu o vídeo.

Essa foi a primeira vez que o desafio foi proposto para os alunos e, após os resultados, o professor Pedro garante que, em 2018 a atividade será realizada novamente.

Confira o vídeo do grupo de Isabela clicando aqui.