Maio Fotografia no MIS

banner_maio

Em sua 4ª edição, a Maio Fotografia ocupa pelo 4º ano consecutivo todos os espaços no MIS (Museu da Imagem e do Som) com uma programação mensal que engloba quatro exposições principais, além de duas mostras e uma instalação interativa relacionados ao mundo da fotografia.

A ideia que permeia a curadoria geral da edição deste ano é a seguinte: “Se a linguagem fotográfica está cada vez mais aberta a novos olhares, a partir dos mais variados tipos de dispositivos − que vão de câmeras profissionais com lentes especiais a celulares com suas imagens em baixa resolução −, e percorre temas igualmente diversificados, é bastante apropriado que este mês voltado a sua exibição, discussão e reflexão abra ao público um leque de possibilidades de fruição“. Fonte: http://www.mis-sp.org.br/icox/icox.php?mdl=mis&op=programacao_interna&id_event=1849

Apresentam-se nesta edição as exposições: O mundo revelado de Vivian Maier (curadoria de Anne Morin); Lambe-lambe: os fotógrafos de rua na São Paulo dos anos 70, elaborada a partir do acervo do MIS (curadoria de Isabella Lenzi); Perto do rio tenho sete anos, do fotógrafo baiano André Gardenberg (curadoria de Diógenes Moura, Rastros 1 (Traces1) do holandês brasileiro radicado em Paris Roberto Frankenberg, entre outras.

Complementa a programação o IV Encontro Pensamento e Reflexão na Fotografia, que visa estreitar os distintos campos de atuação do fazer fotográfico e promover cada vez mais o entendimento sobre a fotografia inserida em debates de conteúdo informativo e reflexivo. O evento acontece entre os dias 28 e 31 de maio, com uma programação composta por sessões de discussão, entrevistas e relatos autorais, além de workshops e apresentações de artigos inscritos por meio de convocatória.

HORÁRIOS e LOCAL

21/04 a 14/06/15 – R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia)
TERÇAS a SÁBADOS das 12h às 20h
DOMINGOS e FERIADOS das 11h às 19h
Classificação: livre
Espaços variados
MIS – Av. Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo – (11) 55 2117-4777

Evento no museu AfroBrasil

O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, convida para o lançamento do livro “África em Artes”. O evento contará com uma palestra dos autores, os pesquisadores Renato Araújo da Silva e Juliana da Silva Bevilacqua, sobre o tema da publicação.

Distribuição gratuita do livro aos participantes da palestra. Inscrição 20 minutos antes do evento.

África em Artes

HORÁRIO e LOCAL

Sábado, 11 de abril, às 11h.
Teatro Ruth de Souza

Museu Afro Brasil – Parque Ibirapuera – Portão 10
Link: www.museuafrobrasil.org.br

Filme Branco Sai, Preto Fica

Vencedor do Festival de Brasília em 2014, Branco Sai, Preto Fica, um filme de Adirley Queirós, é uma mistura de documentário com ficção científica. Retrata uma violenta ação policial ocorrida em 1986 em um baile black no Quarentão, em Ceilândia, periferia de Brasília.

A ordem de um dos policiais “Branco sai, preto fica” evidencia o racismo e o isolamento da periferia de Brasilia. Depois de quase 30 anos os dois personagens principais, Marquim do Tropa e Shockito relembram aquela noite. O primeiro está em uma cadeira de rodas e o segundo com uma perna mecânica. Os dois personagens são reais assim como seus depoimentos. A ficção surge com Dimas Cravalaças que veio do futuro para provar que o Estado brasileiro é responsável por atrocidades contra negros e pobres das periferias.

Em entrevista a Camila Moraes à El País, Queirós afirma que não queriam fazer um “documentário clássico. Queríamos uma coisa mais próxima do apocalíptico, de uma volta do futuro. Aí surge a ideia da ficção”.

Branco sai, Preto Fica está em cartaz nos cinemas:

Asista ao trailer do filme:

Informações de: