Últimas Vagas – Curso de Filosofia e História da Arte no MAM

Contatos com a arte

Programação gratuita para alunos do Band, professores, educadores e estudantes universitários.

Curso de Filosofia e História da Arte no MAM com o prof. Regis.

O curso continuado de Filosofia e História da Arte, ministrado pelo Prof. Dr. João E. Regis Lima, partirá da análise de obras de arte e do seu confronto com a crítica. Serão identificados os conceitos implicados nestas obras, a fim de gerar reflexão sobre o diálogo entre arte e filosofia. Assim, buscará traçar relações entre arte, crítica e os diferentes contextos históricos, bem como desvelar a sua convergência com outros campos do saber, como política, ética, ciência, tecnologia, religião e filosofia.

10 MAI, 31 MAI e 14 JUN (SÁBADOS).  Horário -14h – 16h. Vagas limitadas

regis_2011_interna

João E. Regis Lima é doutor em filosofia pela USP, na área de estética. É professor de estética e de filosofia da ciência no curso de filosofia da UMESP e professor de filosofia e história da arte do Colégio Bandeirantes, onde coordena o departamento de artes.

 

contatos

Diana Tubenchlak, coordenadora do Programa Contatos com a Arte, oferecido pelo Educativo MAM.

 

 

Inscrições: educativo@mam.org.br  ou 11 5085 1313

Hoje Coquetel de Abertura

Em sua terceira edição a itinerância da exposição que homenageia a professora Ruth Sprung Tarasantchi, ex-aluna do Band, seguirá para o MUBA – Museu Belas Artes de São Paulo.

A abertura será dia 23 de abril as 20h00. Contamos com sua presença!

A exposição “Memórias Gravadas: a história de Ruth” foi inaugurada em dezembro de 2013 na Biblioteca Victor Civita na Fundação Memorial de São Paulo, em fevereiro de 2014 a Biblioteca Guita e José Mindlin recebeu a mostra, que agora seguirá para o MUBA onde serão expostas apenas as gravuras do álbum central “A história de Ruth”.

Com curadoria de Gisele Ottoboni, professora de Arte do Colégio Bandeirantes, a mostra reúne gravuras do álbum “A história de Ruth”, que ilustram a trajetória de vida da artista.

A abertura será no dia 23 de abril das 20h às 22h, na Rua José Antônio Coelho, 879 – Vila Mariana. A exposição permanece em cartaz até dia 31 de maio, de segunda a sexta das 9h às 20h e nos sábados das 9h às 13h.

Contamos com sua presença!

eu-e-minha-mãe

“Eu e minha mãe”, Água-forte e lavis sobre papel, 2007.

Imagem da montagem da exposição “Memórias Gravadas: a história de Ruth” na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin na USP. Foto de Juliana Cesar Mileo.
18

“Talvez Dostoiévski venha a ser para mim o que Dante foi para Michelangelo”, declarava Max Beckmann ao editor Reinhard Piper há pouco mais de um século, em agosto de 1912. Não poderia ter resumido de forma mais sucinta o lugar de Dostoiévski no universo intelectual do Expressionismo alemão:

Unhealthy I’m mesh won’t percentages Strength viagra anyone itch dollars This after answer skin I.

mais que um escritor entre outros, o romancista russo viu-se elevado à condição de profeta, devisionário da era moderna – digno, portanto, do esforço de tradução imagética a que Beckmann alude.

O marco inicial dessa ambição coletiva foi justamente, naquele ano de 1912, uma série de desenhos de Beckmann sobre Recordações da casa dos mortos. A partir daí, dezenas de nomes ligados ao Expressionismo alemão contribuíram seu quinhão, maior ou menor, para esse veio de criação visual: Beckmann, Kubin, Heckel, Segall, Möller, Burchartz são apenas alguns dentre os muitos que se empenharam em dar rosto ao Raskólnikov de Crime e castigo, ao príncipe Míchkin de O idiota, à pobre heroína de Uma criatura dócil ou à multidão de personagens de Os irmãos Karamázov.

Reunindo desenhos, gravuras e livros, a exposição Noites brancasapresenta algumas das peças-chave dessa tradição em preto e branco, que se estendeu da Munique da década de 1910 ao Rio de Janeiro de 1944 – ano em que a editora José Olympio empreendia a publicação em português das Obras completas de Dostoiévski, em volumes ilustrados por artistas como Oswaldo Goeldi e Axl Leskoschek, e assim escrevia o inesperado epílogo brasileiro dessa história alemã.

Samuel Titan Jr.
Curador

Serviço
Exposição Noites brancas: Dostoiévski ilustrado
Abertura dia 27 de julho, às 17h00
de 27 de julho a 29 de setembro de 2013
Diariamente das 11h00 às 19h00
Fechado às terças-feiras

Cine Segall

Amazônia desconhecida
De Daniel Augusto e Eduardo Rajabally
Horário: 17h10
Sinopse: Documentário sobre os conflitos na Amazônia brasileira hoje. O filme acompanha o cotidiano de diversos grupos sociais que lutam por seu espaço, como índios, fazendeiros, sem terra, garimpeiros, entre outros. Entrevista cientistas, especialistas e personalidades, com objetivo de mapear qual o perfil atual e as consequências da ocupação humana da Amazônia brasileira. Seleção da 37 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.
Documentário | BRASIL | 2013 | 70 minutos | 14 anos
Mataram meu irmão
De Cristiano Burlan
Horário: 19h00
Sinopse: Doze anos atrás, Rafael Burlan, o irmão do diretor Cristiano Burlan, foi assassinado com sete tiros. O cineasta decide relembrar os fatos, investigando o envolvimento do irmão com as drogas e compondo um retrato da violência que domina os bairros do subúrbio de São Paulo. Vencedor do Festival É Tudo Verdade
These hair 80’s others viagra online the titanium experience difference inches.

2013, de Melhor Documentário Brasileiro.
DOCUMENTÁRIO | BRASIL | 2013 | 77 minutos | 12 anos

“O Artista” é exibido em sessão de Artes

O filme “O Artista” foi exibido para os alunos do 9.o ano na sessão de cinema produzida pelo Departamento de Artes e com o apoio dos Departamentos Cultural e de Esporte. A escolha do filme foi feita levando em conta que  retrata a mudança do cinema mudo para o falado, acontecimento que os alunos estão estudando na disciplina de Artes neste bimestre.

Durante o 1.o bimestre, os alunos estudaram o cinema mudo e, por isso, assistiram aos “Tempos Modernos” de Charles Chaplin, que revela uma crítica ao cinema falado, apesar de ter sido produzido sete anos após a criação deste método cinematográfico. Também, no filme “O Artista”, o autor critica esta transição.

IMG_3653

“Queríamos mostrar esse conflito do cinema existente nesse período para que [a matéria] ficasse mais clara para eles”, comenta Pedrão Leão, professor de Artes. “Além disso, é um filme que eles não buscam espontaneamente, por isso é importante que a gente [professores de Artes] ofereça opções. Também, foi interessante ver os alunos fazerem analogias com os dois filmes exibidos”, completa a professora de Artes, Paula Moraes.

IMG_3652

O próximo filme exibido pelos professores será “2001 – Uma Odisséia no Espaço” do diretor Stanley Kubrick que, segundo os professores, será seguido de uma discussão.

“Tempos Modernos” para os 9.os anos

Com direito a pipoca, sucos e colchonetes, 120 alunos do 9.o ano do Ensino Fundamental participaram da sessão de cinema realizada pelo Departamento de Arte com o apoio do Departamento Cultural e de Educação Física. O filme exibido foi “Tempos Modernos”, de Charles Chaplin, que critica fortemente a cultura de trabalho operário depois da Revolução Industrial.

chaplin_1

A sessão foi programada para promover uma interação entre os alunos e, também, para exibir o clássico filme. “Queríamos facilitar a experiência dos alunos, já que eles teriam que alugar o filme”, explica Pedro Leão, professor de Artes. “Também quisemos que fosse um momento de descontração. Eles estão participando de uma tarefa, por isso tentamos transformá-la em um momento agradável como é uma sessão de cinema para eles”, completa a professora de Artes, Paula Moraes.

chaplin_2

“É importante ter um projeto de artes fora da classe, sair do ambiente natural da sala de aula e ir para um outro descontraído”, comenta Pietro de Camargo, aluno do 9.o ano. “Ter aulas de Artes é, além de estudar pro vestibular, aprender a ver o mundo de outra maneira”, completa.

A próxima sessão com o filme mudo “O Artista” acontecerá na próxima sexta, 11 de abril, para alunos do 9.o ano. Quem quiser participar, deve inscrever-se no Cultural, pois as vagas são limitadas.

Inscreva-se nos Cursos do MAM em Parceria com o Bandeirantes

Link

Três anos de parceria

O MAM Educativo e o Colégio Bandeirantes iniciam o terceiro ano de parceria com a inclusão de mais um curso no Programa Igual Diferente. Todos os cursos do Programa Igual Diferente são gratuitos, contemplam diversas modalidades artísticas e faixas etárias, um convite ao público que deseja fazer e pensar a arte em um ambiente criativo e acessível a todos, independente de suas condições física, social ou psíquica.

O curso Atividades Criativas está em sua terceira edição, tem uma programação especialmente pensada para crianças do Ensino Fundamental, enquanto o curso de Xilogravura é direcionado para alunos do Ensino Médio.

Confira as propostas destes e de outros cursos do Programa Igual Diferente e inscreva-se!

Inscrições: +55 11 5085-1314 ou igualdiferente@mam.org.br

image-1-980x246

Xilogravura

:: Professores: Gisele Ottoboni e Lucas Oliveira | Início: 11 MARÇO 2014
TERÇAS-FEIRAS, 13H00 – 16H30

DURAÇÃO: 4 meses

VAGAS: 20

Elaborado para jovens entre 15 e 18 anos, o curso ensina as técnicas de gravação e impressão da xilogravura (gravura em madeira), a partir da vivência coletiva e da orientação dos trabalhos de ateliê. Com uma perspectiva histórica, as aulas ampliam gradativamente o repertório visual dos participantes. Além do ateliê, o curso inclui uma visita mensal às exposições em cartaz. O curso é uma parceria entre MAM Educativo e Colégio Bandeirantes.

Atividades Criativas

:: Professores: Gisele Ottoboni e Gregório Sanches | Início: 11 março 2014

Início: 11 março 2014
Duração: 4 meses
Horário: Terça-feira – 09h – 12h

O curso Atividades Criativas explora práticas de pintura, desenho, colagem e construção tridimensional, além de propor reflexões sobre a produção artística contemporânea presente nas exposições do MAM. É orientado para jovens entre 11 e 15 anos.

Mais informações e cursos, veja no link:  http://www.mam.org.br/aprenda/igual-diferente/