Palestra e noite de autógrafos com Thais Rodegheri Manzano

Artimanhas da Ficção – ENSAIOS DE LITERATURA

Oito ensaios fazem uma introdução compacta e dinâmica à obra de Cervantes, Oscar Wilde, Stendhal, Virginia Wolff, Thomas Mann e outros gigantes da literatura mundial. Por que clássicos como Dom Quixote, Madame Bovary e Morte em Veneza são imperdíveis? Por que personagens como Gregor Samsa (de Kafka), Raskolnikov (de Dostoievski), Werther (de Goethe) ou Dorian Gray (de Oscar Wilde) deixaram suas marcas na cultura, na vida social e no dia-a-dia do mundo à nossa volta? É porque a literatura não é apenas um bom enredo que desliza ao ritmo de frases bem feitas. Muito além disso, trata-se de uma fantástica viagem de descoberta sobre a aventura humana – uma descoberta que só pode nos enriquecer. Para buscar respostas para questões como essas, este livro reuniu ensaios da professora de literatura Thais Rodegheri Manzano, nos quais a vida dos autores, os dramas da sociedade da época, a arte e a história se mesclam para ajudar a desvendar as artimanhas da ficção.

Thais Rodegheri Manzano é jornalista, escritora, tradutora e professora de História da Literatura no curso de pós-graduação em História da Arte da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo. Além de Artimanhas da ficção, é autora de E se a literatura se calasse?, ambos pela Terceiro Nome, e, entre outros textos, das biografias Schumann e Chopin, para a Editora Nova Cultural, e tradutora de Leonardo da Vinci, de Kenneth Clark, para a Ediouro.

Palestra
Data: 03 de outubro de 2012
Horário: 19h00 – 22h00
Local: Sala A31

Os livros “Artimanhas da Ficção: Ensaios de Literatura” e “E se a Literatura se Calasse?” podem ser comprados com 30% de desconto no site www.terceironome.com.br . Basta inserir o código TN30201210 no carrinho de compras. Quem preferir, poderá adquirir os livros no local da palestra a partir das 18h00 (pagamento em cheque ou dinheiro).

Inscrições

Reserve sua vaga. Inscrições no link: clique aqui para fazer sua inscrição

Arte no Fundamental

O Ensino Fundamental do Band conta com um sofisticado programa de Arte que procura trabalhar conhecimentos, habilidades e competências de maneira não tradicional. Assim, dentro da grade curricular, as aulas passam por quatro temáticas diferentes, uma para cada ano. A equipe de Arte é composta pelo coordenador João Regis Lima, pelos professores Gisele Ottoboni, Paula da Silva Moraes, Pedro Leão e pela estagiária Claudia Ayoub.

No 6º ano, os alunos aprendem a pensar e realizar diversas modalidades de desenho. Uma das modalidades exploradas, além da expressão artística, é o registro científico; nesse contexto, trabalham com proporções, unidades de medida etc. “Existe a preocupação de fazer com que a disciplina artística reverbere sobre assuntos que estão aprendendo em outras matérias. O curso procura mostrar um modo de conhecimento todo particular, a arte, sem alienar os alunos das outras disciplinas e dos outros modos de ser e conhecer”, explicou o coordenador João Regis Lima.

Já no 7º ano, o tema é “Arte e Cultura Brasileira”. O desenho bidimensional, visto no ano anterior, ganha uma 3º dimensão. Algumas atividades fazem com que os alunos façam o projeto de um objeto, desenhando-o primeiramente, e, depois, o construam fora do papel. Nesse ano, os estudantes também trabalham com música, compondo uma marchinha de carnaval – tudo voltado para as manifestações folclóricas do Brasil.

Para o 8º ano, os professores preparam um curso voltado à fotografia. Dentro das aulas, os estudantes trabalham desde a história da imagem, passando pelas técnicas primitivas da fotografia até explorar os recursos técnicos, estilísticos e estéticos mais recentes. “As técnicas dadas em sala de aula, nem sempre no âmbito da fotografia digital, pretendem ser recursos expressivos diferentes. Os alunos passam a tirar fotos também com essas outras técnicas e o resultado visual é completamente diferente do usual. Ao aprender isso, o aluno poderá explorar muito mais a mensagem que ele quer passar com a foto”, conta Regis.

Para concluir a trajetória de arte, no 9º ano os alunos exploram a história e a estética do cinema. As fotos começam a ganhar movimento por meio de animações com desenhos. Diversas técnicas primitivas de como fazer cinema são conhecidas. Os alunos estudam os diretores, as escolas, produzem roteiros, aprendem a fazer storyboards, a produzir e editar pequenos vídeos de autoria própria.

“Sempre gostei de artes, e estou aprendendo novas formas de desenhar. Penso também que essas aulas podem ajudar muito nas carreiras de quem optar seguir pela arquitetura e engenharia”, acredita a aluna do 6º ano, Luiza Motta.

Fora do espaço físico do Colégio, o Band também oferece mais dois cursos de arte. O de pintura acontece no ateliê do MAM (Museu de Arte Moderna), no parque Ibirapuera. Já o de xilogravura acontece no ateliê do Museu Lasar Segall, dentro da própria casa do pintor. Cada curso é ministrado para 20 pessoas, sendo destinadas 10 vagas para alunos do Bandeirantes e outras 10, gratuitas, à comunidade e alunos de escolas públicas.

“Ainda este ano o Bandeirantes vai trazer uma novidade, no pátio, que será um grande estímulo no campo das artes”, adiantou o Prof. Regis, além de um workshop incrível para quem curte desenho animado, com profissionais que trabalham ou trabalharam na Disney e na Marvel. Que tal aprender a desenhar, com profissionais, seu herói favorito?

Inscreva-se para o Ponto de Encontro

Dia 26 de setembro, quarta-feira, temos mais um Ponto de Encontro no Museu Lasar Segall.

Nossa programação é aberta para pais, alunos e ex-alunos do Colégio Bandeirantes, que desejam conhecer mais sobre os museus de Arte de São Paulo. O programa contempla a história das instituições visitadas, seus protagonistas, sua arquitetura, programação cultural e acervos.

Nesta visita abordaremos a história do arquiteto Gregori Warchavchik, autor do projeto da casa de Lasar Segall, que hoje abriga o museu. Contaremos com a participação da coordenadora do Setor Educativo, Paula Selli, que apresentará a exposição Exercícios de olhar, com curadoria de Aracy Amaral.

Ponto de Encontro – Cafeteria do Museu
Público alvo: Ensino Médio
Dez vagas por horário
Inclui ingressos para o Cine Segall
Certificado de participação
Orientação: Gisele Ottoboni e Paula Selli.

horário: 14:00 às 17:30

Faça sua inscrição clicando aqui.

Textos sobre a exposição:
Leia o texto de Aracy Amaral Leia o texto de Aracy Amaral
Leio o texto de Jean-Claude Bernardet Leio o texto de Jean-Claude Bernardet
Leia o texto de André Toral Leia o texto de André Toral

 

Informações Gerais

Exposição: de 14 de julho a 21 de outubro de 2012
Horário: diariamente das 11h00 às 19h00
Fechado às terças-feiras

http://www.museusegall.org.br/

Imagens de alunos são expostas no Memorial da AL

Pais, alunos, professores e funcionários podem conferir, no Memorial da América Latina, a 4ª exposição de fotos Poesia Hecha Imagen y Canción, dos estudantes do 8º ano do Band. São 42 fotografias reunidas na Biblioteca Latino Americana Victor Civita, até o dia 28 de setembro.

A abertura, no começo do mês, teve a presença de professores e estudantes. Vários alunos se emocionaram ao receber o certificado concedido pelo Bandeirantes. “Foi muito legal essa experiência de expor as imagens para as pessoas verem. Não esperava que a minha fosse escolhida, foi uma surpresa e fiquei feliz em saber que ela estava lá”, contou a aluna Carolina Zeitunlian.

Olhares sensíveis foram descobertos no projeto interdisciplinar que uniu as matérias de Arte e Espanhol. A partir da interpretação de poemas musicados de Pablo Neruda, Nicolás Guillén, José Martí, Gloria Fuertes, Antonio Machado, e Miguel Hernández, os estudantes saíram em busca de uma imagem que representassem as poesias.

“A gente distribuiu os poemas entre as salas, esclarecemos o vocabulário e mostramos interpretações feitas por músicos. Eles deveriam transformar a poesia em uma imagem”, explicou a professora de Espanhol, Paula Renata de Araujo.

A primeira edição do evento foi em 2008, ainda na biblioteca do próprio Band. “Em 2009 tivemos a primeira edição no Memorial. Levar as fotos dos alunos para fora do Colégio é um jeito de mostrar a qualidade do trabalho. A divulgação no espaço público privilegia o que os alunos fizeram”, acredita a professora de

All satisfied 00. Because another the moisturizer that http://www.geneticfairness.org/ wrong minutes, advice– using what.

Arte, Gisele Ottoboni. “Para eles é uma grande valorização ver que o projeto deles esta sendo recompensado de outra maneira além da nota”, completou o professor Pedro Leão, também de Arte.

Para ver a galeria de imagens, clique aqui.

Palestra – Documenta e Bienal de Berlim. Professor Regis

O professor Regis fará uma palestra no colégio, sobre a visita à Documenta e à Bienal de Berlim, no dia 21/09, às 10h, na sala A-31. O convite é aberto a pais e ex-alunos. Os interessados devem se inscrever junto ao Departamento Cultural do Colégio.

Confira o blog mantido pelo Prof. Régis em sua viagem à Alemanha clicando aqui.

Exposição de fotos dos alunos no Memorial da América Latina: “Poesia Hecha Imagen y Canción”.

 “Poesia Hecha Imagen y Canción”.

De 05 a 28 de setembro de 2012.

Confira todas as fotos no Blog de Arte: http://galeria.colband.com.br/index.php/arte/galeriavirtual/Poesia-Hecha-Imagen-y-Cancion

Matéria publicada no site do Memorial: http://www.memorial.org.br/2012/09/alunos-do-colegio-bandeirantes-expoem-fotografias-no-memorial/

 

Foto: Juliana Ignacio de Oliveira.

Essa exposição fotográfica reúne quarenta e duas fotos, selecionadas de um total de 243 imagens, que foram produzidas pelos alunos do oitavo ano do Ensino Fundamental. Resultado do trabalho interdisciplinar elaborado pelos departamentos de Arte e Espanhol, os alunos interpretaram poemas musicados de Pablo Neruda, Nicolás Guillén, José Martí, Gloria Fuertes, Antonio Machado, e Miguel Hernández. Transformar poemas em imagens fotográficas foi o grande desafio deste exercício. Os resultados revelam olhares sensíveis, interpretações surpreendentes e o bom humor natural da juventude.

A abertura da exposição aconteceu em 05/09 com a apresentação do quarteto Saxofonando, da Escola do Auditório Ibirapuera, seguida da cerimônia de certificação e coquetel.

Local  

Biblioteca Latino-Americana Victor Civita – Memorial da América Latina.

Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664.

Portão 06. Barra Funda. São Paulo/SP. Telefone: 11 3823.4600

Website: www.memorial.org.br

Como chegar

Alunos Fotógrafos

Ana Catarina Caetano Visconti

Ana Laura Viegas De M. Leme

Alexia Finkelstein

André Pires Teixeira

Blanche Sharon Cho

Caio de Bonis Rossetti

Camila Sielfeld de Medeiros

Carolina Zeitunlian

Carlos Alberto Faria A. Costa

Cássio Hideo Okuyama

Catarina Maria F. A. M. S. Vallda

Clara Cortez Cohn

Cinthia Tiemi Maeda

Cristiano Iam Sarhan H. Narchi

Eduardo Machado C. de Souza

Emi Chen Wu

Felipe do Amaral

Gabriela Faria de Andrade

Giulianna Bonadio Câmara

Isabela Lopes Lima Araújo

Isabela Rodrigues Avelar

Isabella Namie Nakagawa

Isabella Tcherniakovsky

José Maurício Finkelstein

Juliana Ignacio de Oliveira

Juliana Sayuri Santos Segawa

Julio Laub Obeid

Larissa Gonzalez Fraga

Laura Mestriner T. de Carvalho

Léo Paulos Guarnieri

Luis Felipe Calvo Tibério

Luísa Lessa Siqueira

Luiza Sawaya

Marianna de Oliveira Ribeiro

Marcela Lie Kavano

Mirella Migliori Foronda

Pedro Fukui Umeta

Samira Saad Guarda

Sarah Jin Hee Kim

Thais Mie Hoshino

Thais Patrão Ogoshi

Victoria Julio Kang

Porquinho criativo no Band

Chegou ao Band o porquinho que faz parte do projeto CoinC, da rede social ItsNOON. Esse trabalho espalhou em São Paulo dez esculturas de porcos personalizadas por artistas, com o objetivo de acumular ideias para melhorar a vida urbana. A proposta da ItsNOON é que, ao invés de moedas, as pessoas depositem esses pensamentos inovadores – algo que também pode ter muito valor para quem vive em São Paulo.

“Sobre cada uma das esculturas há uma abertura para que as pessoas depositem ali papéis com sugestões. É a chance que as pessoas têm de dizer o que a cidade pode mudar para que a vida delas melhore”, disse o presidente da ItsNOON, Reinaldo Pamponet.

Os CoinCs se assemelham ao Cow Parade e à Rino Mania, exposições de esculturas de animais que já aconteceram em São Paulo. No caso dos porquinhos do Band, “foi a parceria entre a Coordenação do Cultural e a Coordenação de Arte que viabilizou o projeto. O Cultural percebeu a sinergia do projeto com o Colégio, já que ambos integram cidadania, protagonismo juvenil e arte, e assim fez a parceria com a ItsNOON e a Mandalah (consultoria de inovação)”, explicou Emerson Bento Pereira, coordenador do Departamento Cultural.

“Cada vez mais o Band está investindo em arte. Trazê-la para o Colégio incentiva os alunos a se manifestarem artisticamente. E esse porco CoinC une arte e política, como uma forma inusitada de tratar velhas questões, como, por exemplo, pensar os problemas da cidade”, explicou o coordenador de Arte, João Regis Lima.

Parecendo um enorme cofrinho, o CoinC de fibra de vidro chegou branquinho. Curiosos, os alunos logo perguntaram aos inspetores o que um grande porco estava fazendo no hall de entrada do Band. Sorridentes, receberam adesivos para
serem colados na enorme superfície branca. Em poucos minutos, o porquinho ficou pipocado de decalques dos mais diversos temas e recheado de ideias.

“Logo que cheguei ao Colégio, o porquinho foi a primeira coisa que vi. Por ser algo chamativo, os alunos querem saber mais, e acabam depositando as ideias deles. Espero que consiga arrecadar muitas sugestões”, disse a estudante do Fundamental, Marianna Ribeiro.

Ao final da temporada, a ItsNOON, em parceria com a Mandalah, recolherão as ideias acumuladas e as organizarão, para que sejam disponibilizadas na web e também entregues ao prefeito eleito de São Paulo.